Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ANTIGUIDADE


Nesse novo contexto, os exercícios físicos continuam merecendo o mesmo destaque alcançado na pré-história. Não é dessa época a origem de uma Educação Física que pudesse ser denominada científica, mas já é possível uma análise mais apurada das atividades físicas no berço desse novo mundo, agora civilizado, com seus feitos, registrados através da escrita. Podemos arriscar uma classificação onde identificaríamos finalidades de ordem guerreira, terapêutica, esportiva e educacional, aparecendo sempre a religião como pano de fundo, como em todas as realizações orientais.

Os chineses parecem haver sido os primeiros a racionalizar o movimento humano, emprestando-lhe, ainda, um forte conteúdo médico. Criaram, provavelmente, o mais antigo sistema de ginástica terapêutica de que se tem notícia: era o Kong-Fou (a arte do homem) - surgido por volta de 2700 a.C. - e praticado pela seita Tao-Tsé, onde a pessoa executava os movimentos nas mais diversas posições, obedecendo a certos critérios sobre respiração, tudo de acordo com a doença a ser tratada. Há que se ressaltar, ainda, o aspecto religioso dessa prática que, além de curar enfermidades do corpo, servia para torná-lo um "leal servidor da alma".

A índia é reconhecida como a nação que conseguiu atingir o maior grau de elevação espiritual de toda a humanidade. Entre as práticas hindus, temos de destacar a yoga como a sua manifestação suprema. A parte desse sistema que trata do corpo físico chama-se hatha-yoga e é fundamentalmente uma ginástica de posições com a utilização de uma respiração adequada. A yoga não é apenas um conjunto de exercícios ginásticos, mas uma doutrina que busca não só a purificação do corpo como também, através da meditação, facilitar a identificação do homem com a sua essência divina. Integra, portanto, o físico, o intelectual e o emocional, numa bela concepção do ser humano.

Nessa fase da história da humanidade, vários povos destacaram-se pela formação guerreira que era dada aos seus cidadãos. Os egípcios - considerados por muitos historiadores como a mais antiga civilização - deixaram o seu registro principalmente através dos murais dos seus templos e dos monumentos funerários, bem como de todo o restante de sua inconfundível arte. Nas paredes das tumbas de Beni Hassan figuram cenas militares bem minuciosas do tempo dos faraós. As imagens mais numerosas são as de luta, que se constituem num mural escrupulosamente detalhado, como se formassem os quadros de um filme. Estimulados por uma longa guerra de independência contra os hicsos, povo asiático que os dominou, os egípcios foram levados a se exercitarem aplicadamente para expulsar os invasores, provocando um treinamento muito rigoroso dos seus soldados.
Na região situada entre os rios Tigre e Eufrates estavam os sumérios, os caldeus ou babilônios e os assírios, que disputam com os egípcios a primazia histórica de haverem alcançado o momento cultural denominado civilização.


No Oriente Próximo foi o Egito que, sem dúvida, atingiu o mais alto grau de aperfeiçoamento no terreno esportivo. As imagens que nos deixaram registram corpos fortes e esculpidos dentro de padrões estéticos comparáveis aos dos gregos. Suas práticas esportivas eram bastante diversificadas, sendo evidente a importância não só da luta, já comentada, como também da natação, remo, atletismo etc., constituindo um verdadeiro sistema de Educação Física.

A China talvez seja a possuidora da mais antiga história do esporte e, seguramente, foi a que mais influenciou a Educação Física no Extremo Oriente. Os chineses foram hábeis caçadores, lutadores, nadadores, praticantes de esgrima, do hipismo e de um esporte que hoje chamaríamos futebol (tsu-chu).

Fonte: O QUE É EDUCAÇÃO FÍSICA - Vitor Marinho de Oliveira - Editoria Brasiliense 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário